domingo, 29 de julho de 2012

Continuação ooo o Circo Chegou!!!''Circo Família'' Essas informações foi tirada do livro; CircO Nerino em Brasilha.


O Ebri um drama do cotidiano, quantas pessoas não já viveram esse drama? o fragelo da bebida.Homens que perderam tudo por causa da bebida. Por causa da bebida perderam mulheres e filhos, pose na sociedade. No causo da peça ''O Ébrio'' o protagonista era um cantor, um Tenor, bem situado na sociedade, frequentava a sociedade Carioca, e por causa da bebida foi perdendo tudo, para morrer na sarjeta, era uma choradeira geral. Na verdade o protagonista era o cantor Vicente Celestino, cantor de muito sucesso nos anos quarenta e cinquenta. Essa peça era sinal de casa cheia, de circo cheio.
O Circo Nerino foi fundado pelo casal Armandine Ribola e Nerino Avanzi. Ela. Francesa. Família tradicional circense. Ele Italiano trazido na bariga da mãe pra nascer aqui no Brasil
O Picolino foi criado por Nerino Avanzi (1886-1962) O Circo Nerino nasceu na Cidade de Curitiba em 1913 e baixou de vez sua lona em 1964., depois de rodar o Brasil de norte a sul, e de leste a oeste, em cima de caminhão, trem, navio barcaça, em estrada de terra, na incrível missão de levar o entretenimento a todo o povo nos mais distante lugares. No tempo que o circo era o maior e único espetáculo da terra.
O Palhaço Picolino pegou sua Peroba em 1913 e entregou a Picolino II depois de rodar o Brasil do Iapoque ao Chui em Coaraci em 1954. E na minha presença. Sim na minha presença.
Sim pra minha grande empolgação só aqui fiquei sabendo que picolino nasceu em Coaraci naquela época de ouro da minha vida.
Roger Avanzi então com 32 anos e principal galã da companhia, passou a encarnar o palhaço criado por seu pai, e o substituiu  no ofício sagrado de fazer os outros rir.
Com o final do Circo Nerino, O Grande Picolino II se engajou no Circo Garcia e com ele percorreu mais uma vez o Brasil entre 1966e 1973. Apartir de 1978; em São Paulo, participou da implantação das primeiras escolas de circo do Brasil.
O fato extraordinário da presença do circo nerino  em Coaraci foi que enquanto estava lá o Circo Nerino, o cinema andou vazio as moscas.
Não posso me esquecer de citar uma pessoa do circo, pessoa não um Gigante pra bem dizer. Gaetan Ribolá. Chamado de mola mestra do circo.
Esse homem era a senssação do circo , quando ele era anunciado o circo vinha abaixo, ele tinha um numero que ele equilibrava no ombro, subia a terezinha ou não lembro bem se era Alicinha, era uma das duas ou as duas revezavam era uma grande apresentção. Gaetan não tinha voz, sua voz quase não saia, mais tinha uma força escomunal, nois os meninos ficavamos abismado com sua força.
              
             A GRANDE FORÇA DO CIRCO NAQUELA ÉPOCA ERA O TEATRO;
O Circo Nerino assim como todos os circos da época, era circo-teatro, genero de espetaculo circense tipicamente brasileiro que consiste na apresentação de picadeiro na primeira parte, e teatro na segunda parte. Durante quase 24 anos, quase ametade de sua existencia, o Circo Nerino apresentou, no ato teatral do seu espetaculo, farsas e comedias protagonizadas pelo Palhaço Picolino, como O Esqueleto, Doutor Redondo e O Terrou das Fronteiras do Rio Grande do Sul. 
Apartir de 1937, foi incluido dramas no seu repertório como O Louco da Aldeia, O Ebrio, A Mestiça, As pessoas saiam do circo com os olhos vermelhos de tanto chorá.
Paixão de Cristo e muito outas peças.

 Ciirco Pau Fincado:
A arquitetura do Circo Nerino, como todos os circo de sua época, era chamada popularmente de pau fincado. Isso porque os paus de roda, que contornam a borda do circo, eram de fato fincado já que sustentavam a estrutura da arquibancada.Uma coisa que eu me adimirava era a rapidez que aqueles homens armava e desarmava o circo.

Obs: Os dados históricos do Circo Nerino, como sua fundação em 1913 e encerramento dasatividades em 1964. foi extraido do livro de Veronica Tamaoki. Circo Nerino em Brasilia.
 
 







sexta-feira, 27 de julho de 2012

Escrever é um risco------------------- que eu quero correr.


Euflavio Gois.
UMA CRIAÇÃO DE EUFLAVIOMADEIRART.
PEDAÇO DE EUCALIPTO ACHADO NO LIXO.





FEITO EM SÃO PAULO
EM JULHO DE 2012.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Dezembro:
Tanto Verão!
Não sei se veremos outros...


Euflavio Gois.
ESSA É MAIS UMA ESCULTURA FEITA POR EUFLAVIO GOIS EM SÃO PAULO BRASIL

Um pedaço de eucalipto retalho descartado de serraria. Não teria aproveitamento nenhum, se não fosse a ação
criativa deste Soldador Elétrico. Que se meteu como quem não quer nada na Arte Plastíca. E tá ficando tá ficando.

Autor: Euflavio Gois.







Essa é uma peça pra'' COLECIONADORES'' É UM TRABALHO DE PURA CRIAÇÃO DE Euflaviomadeirart.
Feito em Julho de 2012 em São Paulo Brasil.
SEM TITULO AUTOR EUFLAVIIO GOIS

CORPO INTEIRO

FEITO EM SÃO PAULO BRASIL.
ESCULTURA DE Euflavio Gois
feita em São Paulo:.Brasil.

quarta-feira, 25 de julho de 2012


ESCULTURA DE EUFLAVIO GOIS
FEITA COM TRONCO DE ARVORE MORTA
JÁ APODRECIDA PELA AÇÃO DA CHUVA.











Encontrei muitas lagartas dentro da madeira.
dessa madeira e outras tantas ainda tem.
Mesmo assim eu consegui esse resultado.

segunda-feira, 23 de julho de 2012

OOO O CIRCO CHEGOU!!!!!!!!!!1Coaraci

Coaraci amanheceu diferente está chegando mais um circo, não era mais um circo. Era o maior Circo, Era
o maior espetacular que já tinha passado por Coaraci
Circo Nerino. Para nois o maior circo que já tinha pisado na quelas terras. O maior Espetáculo da Terra.
Ninguem em Coaraci jamais tinha assistido um espetáculo tão grandioso como aqueles do Circo Nerino.
O ano de 1954, premiou Coaraci com os espetáculos do Circo Nerino.
Eu tinha apenas 10 anos e fui tirado de dentro do circo  umas cinco ou dez não lembro direito quantas vezes, eu não sei dizer como eu com apenas dez anos podia ir pra porta de um circo não lembro o espetáculo de estreia, mais não importa.
O que importa é que no outro dia niguem falava em outra coisa, eu  não lembro se conseguir se conseguir enganar o mata cachorro... Bem pra quem não é da época: Mata cachorro é o mais baixo salário do circo.
É aquele empregado que está ali fazendo ronda pra ver se tá tudo certo, é ele que bota agente pra fora do circo uma , duas, três ou quatro vezes por noite de espetáculo, é o homem que tem a sua mãe mais chingada do mundo acredito ou tinha,. As  vezes eles punha agente pela orelha e de quebra ainda dava um pescoção.
Eu naquela época tinha de nove pra dez anos o que equivalia naquele tempo uns quinze anos de hoje, eu acho, tanto que era a liberdade que nos era dado,. E a falta de perigo que tinha naquela época dos anos 50. Acho que aqui era assim também.
Eu ali nos anos 50 já tinha vivido muitas muitas aventuras grandiosas. Já tinha ido em bom Jesus da Lapa, Já tinha enfrentado muitas coisas grandiosas como; O susto com  cobra que eu ia pegando com a mão.
Os medos daquela época eram outros como: Medos vinham de coisas naturais ou folclóricas medo de velho, de doido, medo do cão, medo de cobra, de onça, de lobisomem de boi, de vaca parida, de cair de arvores, de morrer afogado, também tinha medo de assombração de jitirana,. os meninos daquela época viviam com o coração na mão, medo de pantasma de cavalo em fim tinha medo de tudo mais enfrentava tudo.
Montava em cavalo bravo entrava em fazendas pra roubar frutas mesmo sabendo que tinha os empregados que se pegasse tinha ordem de matar. Mais voltamos ao Circo Nerino.
O Circo Nerino estava sendo armado na rua do cacau, local meio afastado do centro da cidade, mais era ali que era armados circos, parques de diversão e é de etc. Os meninos pobres é claro, estavam todos lá pra ver se alguém do circo lhe pedia pra fazer alguma coisa, e assim ele teria feito um favor pra o circo que ia lhe render uma entrada para assistir o circo de graça., mais isso era muito difícil de acontecer.
Aquele universo cheio de encanto para os meninos como eu cheio de sonhos. Os meninos ricos jamais iam estar ali, viver aqueles momento mágicos de ver os movimentos dos homens e artistas ali passando pra lá e pra car, até dando bronca na gente. Até o palhaço Picolino I, ajudava a armar o circo nois voltava da escola e ia pra o circo ficar olhando o movimento de armação do circo inesquecível.
Circo armado só faltava anunciar os espetáculos, coisa que ia ser feito por um palhaço de rua num jegue ou em cima de umas pernas de pau tamanho gigante, acompanhado por nois os meninos pobres livres e felizes da cidade. Depois de ensaiar alguns gritos com nois, tipo: ''Atenção senhoras e senhores dessa redondeza quadrada! Não percam hoje as oito horas da noite o grande espetáculo do nosso circo Nerinos nessa localidade, o nasce o sol esconde a lua, olhe o palhaço no meio da rua, hoje tem espetáculo!'' -Nois, tem sim senhor.!Oito horas da noite ! -tem sim senhos!
, então arrocha negrada - eeeeeeeeeee! mais um bocadinho! -eeeee!!!!
Assim ficava marcado pra o outro dia no mesmo horário, todo mundo ali no ponto de encontro, pra sair de novo rua acima rua a baixo na maior algazarra organizada, fazendo a propaganda do próximo espetáculo.
Eu só tinha medo de ser visto: por meu pai ou minha professora, mais o resto não importava.
Eu só sei que o meu papel de menino pobre eu comprai direitinho.
Enquanto isso o palhaço de rua com nois, já anunciava a grande estreia do novo palhaço da companhia:.
Atenção senhoras e senhores não percam no próximo sábado a grande estreia do grande palhaço Picolino II. Esta cidade foi escolhida a dedo para essa estreia sensacional. E nois ali na esperança de ganhar a entrada que nunca ganhava, mais não importava nois entrava de qualquer jeito, ali nois estávamos mesmo pra se divertir e pronto. Chegava em casa contando história inventada na hora, as vezes dava certo , as vezes não e o coro comia.
-O circo Nerino tá na cidade, hoje tem espetáculo, mais a vida tá correndo e tem muitas coisas pra fazer.
Meu pai não parava um minuto pra alimentar a família que não era pequena, e a gente que era maiorzinho, tinha que ajudar no que desse.
Tinha escola pra ir, tinha o rio que tomava boa parte do nosso tempo, tomando banho, ou pescando,ou ainda acompanhando minha mãe que lavava as roupas de todos e agora com o circo ainda tinha que as tres horas ir para sair com o palhaço de rua anunciar o grandioso espetáculo.
Ai então chega a hora de estreia do Circo, Depois de grande caminhada atraz do palhaço gritando até ficar roco não deu outra, circo lotado, não tinha nem lugar pra nois.
-O espetáculo começava e nois lá fora tentando entra por baixo do pano, era preciso dar varias voltas em redor do circo, até conseguir, quando conseguia muitas vezes era descoberto e jogado pra fora como cachorro, dependendo do rapaz que nos descobria agente ainda levava um pescoção, mais mesmo assim já começava batalha pra entra de novo.
-O espetáculo de estreia foi uma beleza: casa cheia a banda do circo tocava musicas de suspense enquanto o trapezista apresentava o numero inédito a caixa de guerra repicava trraaraaaaa... e terminava com um toque agudo de piston. isso era sensacional, muitas vezes nois ainda estava lá fora escondido em alguma sombra esperando uma oportunidade pra entra.
Mais o que o povo gostava mais era mesmo a segunda parte do espetáculo, que era uma peça encenada pelos artista do circo, onde o primeiro galã era Róger Avanzi . Me lembro da peça ''O Louco da Aldeia'' um clássico, outro clássico:''Coração Materno'', outro ''Sanção e Dalila'' ''O Ebrio''. essas peças encantava o publico agente chorava muito. o povo do circo ficaram encantados com a nossa recepção.
A vida corria normal nessa cidade tão pura, na feira os cordéis não perdia tempo, chegavam de suas origens para vender seus romances é fabulas, o povo da roça precisava dessa leitura os que sabiam ler é claro.
Romances como Pavão Misterioso, O Cachorro dos Mortos, A Chegada de Lampião no Inferno, Juvenal e O Dragão e muitos outros deliciosos romances de cordel.
Também tinha os grupos de esmole que faziam as feiras das cidades de Uruçuca, Camacan, Itajúipe, e muitas outras cidade da região cantando, musicas apropriadas com agradecimentos, sim pedia e agrandecia cantata do. Tinha também um tal de Calú Gonzaga, era um camarada albino,que cantava tocando pandeiro, umas musica parodiadas de Luiz Gonzaga, esse fazia muito sucesso. A feira rolava até as três ou quatro horas da tarde. Vamos voltar ao Circo Nerino e seus espetáculos,O Sr Tiano acho que já falei não perdia uma noite, sempre ali na terceira carreira da arquibancada batendo palma.
Seu Tiano Fazendeiro Pioneiro chegou na região na década de trinta e formou com muito trabalho, fez fortuna ali em Coaraci e era muito agradecido a isso. Ele era uma atração a mais pra os meninos, que ficavam olhando pra aquele homem de terno de linho branco, sentado ali na geral do circo.
-Preciso ver o Quinda pra ver se ele foi, eu sei que ele foi não perdia um dia.
-Quinda falou : voce não foi por que? fui tirado três vez de dentro.rsrsrs.
-Que derrota, pois eu consegui! fiquei lá perto dos músicos. Mais no próximo estarei lá, seu Tiano também!.
Era muitos números de malabarismo, magica, trapézio, corda bamba e o palhaço picolino pra fazer todos rirem. Quinda era aquele menino muito alegre, sempre com aquele sorrizão e sempre pronto pra aprontar alguma coisa. As 02:00horas lá ia nois pra porta do circo pra acompanha o palhaço rua acima rua abaixo gritando viva o circo, viva o circo..,.A noite estava lá na portaria do circo, no alto dos meus 10 anos de idade, vendo um jeito de entrá por baixo do pano, as vezes mal acabava de entrá já tinha um mata cachorro grudado na minha orelha me botando pra fora. Uma vez meu irmão mais velho viu o homem me pondo pra fora, quase morri de vergonha, mais a vontade de entra era mais forte, muito mais forte. A vergonha durava
no máximo uns 5 segundo e a vida continuava. Próxima peça; ''O Ébrio'' drama uma adaptação da musica de Vicente Celestino, O Ébrio grande sucesso da época, no dia seguinte só se falava no ébrio era uma gozação só com aqueles que bebia.kkkkkkkkkkkkkkkkk







ESCULTURA DE
EUFLAVIO GOIS









SÃEO PAULO BRASIL








ESCULTURAS DE EUFLAVIO GOIS





SÃO PAULO BRESIL

domingo, 22 de julho de 2012

ESSA É MAIS UMA ESCULTURA DE Euflavio Gois. Feita em São Paulo. Brasil.

quinta-feira, 19 de julho de 2012

Continuação de corre olhe o Boi!

Do lado rico da cidade a rua mais famosa, era a boca da conversa, era um pedaço  de rua, dava mais ou menos cinquenta metros, mais era lá que que se discutiam vários aspectos da vida da quela época, muitos homens saíram dali cortado de fação. A boca da conversa acabou. Mais até hoje muita gente ainda se lembra inclusive eu...
Do lado pobre a rua mais famosa sem duvida era a rua do campo, muitas confusões se deu lá por ser a rua reservada as mulheres dama ou rapariga como eram conhecidas, confusões monumentais teve seu palco lá, porque era lá que se dava os encontros amorosos dos homens, e rapazes do povo.
Tinha do lado pobre o prédio mais alto da cidade, que era o edifício de Antônio Rodrigues com trés andares.
É um prédio comercial com muitas salas comerciais esse prédio está lá, e ainda continua sendo o predio mais alto da cidade.
Coaraci é uma cidade cheia de mitos é lendas. Dizem que Antônio Rodrigues construiu esse prédio com o dinheiro de uma pedra que ele encontrou boiando rio acima, dizem que era uma pedra muito valiosa, que ele vendeu é assim construiu o seu Edifício, que a ele deu o nome de edifício Antônio Rodrigues. Fica na esquina da Rua primeiro de Janeiro também conhecida como Rua do Campo com Av Almada. Diziam os que conheceram Antônio Rodrigues, que ele era um homem muito pobre, e pra justificar a construção de uma obra tão monumental pra época, era preciso encontra um tesouro. Falavam também por lá que muitos pioneiros encontraram riqueza cavando botija de dinheiro enterrado, os proprietários do pote de moedas morria mais antes enterrava o dinheiro quando morria a alma ficava penando enquanto alguem não tirasse o dinheiro, a alma do infeliz não descançava. Mais pra tirá o dinheiro o fregues precisava ter muita coragem e não podia falar pra ninguém do presente que tinha ganhado, a noite pegava pá, picareta e anchada e ia no lugar combinado pra arrancar a botija. Dizem os que tiraram, que era tantos demônios que aparecia que muitos tinham que largar tudo: Pá, anchada e picareta pra traz, não conseguia concluir o trabalho, o morto tinha que dar pra outro, até conseguir.
Do lado de lá do rio tinha Sr. Cazuza um ferreiro de mão cheia esse homem era um gênio: Concertava tudo, ele mesmo falava, eu concerto qualquer coisa até hoje o filho dele está lá concertando o que aparece, tem o mestre Pedro que trabalha com ele até hoje no mesmo lugar. E olhe que já se foram 50 anos. Na eleição de Presidente da Republica de 1960 meu pai apostou com seu Cazuza uma Sanfona Todesquini de 120 baixo em Pinico Salgado Presidente e perdeu. Plínio Salgado foi o lanterninha na Eleição. Mestre Cazuza ganhou de meu pai talvez o amor da vida dele, lembro que eu fiquei com muita raiva do Mestre Cazuza. Ali eu já tinha 17 anos. Os candidatos eram: Jânio Quadro, Plínio Salgado, Ademar de Barro, Teixeira Lots, acho que só. A politica em Coaraci pegava fogo, era rodas de discussão pra todo lado, na praça era varias rodas de discussão, comícios,. é etc. Até que chegava o dia da Eleição. Pra meu pai Plínio Salgado já estava eleito rs foi o lanterninha. A Sanfona que ele tanto passava a franela foi-se.
Os filhos não suporta ver seu pai derrotado, aquilo pra nos foi uma ferida que demorou a se fexar.
Pai derrotado nunca, Jânio Quadro ganhou a eleição. Meu pai perdeu a sanfona. mais e os boi
Bem as boiadas continuaram a entra na cidade tocada por boiadeiros valentes que estava sempre prontos pra se exibir saltando do cavalo pra pegar o toro a unha.
Enquanto isso O Cine Teatro Coaraci, exibia grandes produções como: A Queda do Império Romano, 55 Dias em Pequim, O Monstro da Lagoa Negra, Ultimo Por do Sol, e Assim Caminha a Humanidade com Jeme Dean e Rock Hudson. O extraordinário era eu saber de tudo isso naquela epoca, era muitas informações numa era sem computador e sem televisão. Vamos falar mais um pouco da relação entre homens e gado:
-O Homem trouxe pra bem perto de si dois animais bem grandes e fortes, no intuito de fazer esses animais lhe ajudarem nois trabalhos diários, conseguiram excelentes resultados com os dois. O boi foi um grande trasportador de cargas atravez do muito conhecido'' Carro de Boi'. Tenho muito bonitas lembranças dos carros de boi que passavam na rua enfrente a casa que e nasci em Sergipe. Os Carros eram puxados por juntas de tres pares de bois, que transportavam  lenha para abastecer as caldeiras das fabricas de tecidos,onde trabalhava minha mãe. Não deve ter demorado muito pra o homem descobri que sua carne era uma delicia, e passou a comer-la, e também o seu leite passou a fazer parte do seu cardápio que naquela época era muito reduzido. Outro grande parceiro no dia a dia foi o Cavalo perfeito como parceiro nas guerras nas longas viagens nos transportes de boiadas em fim em tudo estava lá o cavalo. Na Independencia do Brasil, e na Proclamação da Republica, estava lá o cavalo. Por mais de dez mil anos esse grande companheiro esteve junto com agente.




terça-feira, 17 de julho de 2012



ESSA É MAIS UMA ESCULTURA DE Euflavio Gois
feita em São Paulo.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

'' HEI PAI''

Eu amo as coisas simples da vida!!!
Pisar descalço no chão.
Comer com as mãos, com as mãos!
Deitar no chão, no chão.!

Falar errado entender certo.
Dormir tarde acordar cedo.
A simplicidade do sim.
A complexidade do não.


O vai e vem das formigas.                                           
As  abelhas o mel, o mel.
As cores, o céu!
As folhas que caem.
As florestas, as flores, as flores.
 
As borboletas azuis.
Os Desertos, as Geleiras
A serra do mar e das marés.
Os Metais, as pedras as pedras...
O Sol, a Lua, as Estrelas
.
As Laranjeiras em flor.
O Beija flor, o Beija flor!
A Palmeira, o Sábia
A Flor do Maracujá...                             
Os peixinhos a nadar.

A chuva que cai...
O grito corretivo de meu pai.
A volta pra casa a tarde
Olhos de gato na porta. 
Vendo ele vindo, vindo, vindo!!!

Os dias de Sol, e meu pai?
As noites de lua cheia, e meu pai?
As tempestades, cade  meu pai?
Meu pai não está! não está mais aqui.
O por do Sol, O por do Sol...

O dó, o ré, o mí,  fá,  sol  lá,  sí.
A música, a música cade! cade!!!
A música calou, calou.
Pai! por que foste embora tão cedo? 
Nem deu pra me ver crescer, crescer.        

             FIM.

            Autor: Euflavio Gois     
  São Paulo, Julho de 2012.

quarta-feira, 11 de julho de 2012

 ''TRIHUM''
Autor Euflavio Gois.
São Paulo 2012



















AINDA EM FASE FINAL.





''TRIHUM''Autor:
Autor: Euflavio Gois
São Paulo 2012                       AINDA EM FASE FINAL

terça-feira, 10 de julho de 2012

Meu blog está batendo o recorde de visitação hoje com 104 visitas.
Pra mim isso é magico, lindo, gratificante, espetacular, maravilhoso, 
grandioso, primoroso, fantastico,sensacional e maguinifico é,
de tirá o folego. Resumindo; estou muito muito muito feliz. Obrigado
vocês dos EUA, DA RÚSSIA, DO BRASIL, DA IRLANDA,
DE PORTUGAL, DA ALEMANHA, DO REINO UNIDO, DA
ITÁLIA, DA ÍNDIA, E LETÔNIA, Obrigado.

segunda-feira, 9 de julho de 2012

ESSE É MEU CACHORRO FRANK. TEM DEZ ANOS.

domingo, 8 de julho de 2012

'''GATOS NA LUZ'' Autor:Euflavio Gois..

Eu não gosto muito de Pintar, não tenho o dominio dos pinces mais nesse trabalho sem tecnica consegui um bom resultado. Coisas de euflaviomadeirarte. Num sabe?

São Paulo junho de 2012 Brasil dedico a minha Filha Gicelle. Que ama os gatos de paixão..


INACABADO AINDA SEM TITULO. AUTOR: Euflavio Gois


sexta-feira, 6 de julho de 2012

Continuação: ''corre olhe o boi.''

Que saudade nois todos os nascidos fomos 12 metade homens metade  nascemos em Sergipe, a outra metade nasceram na Bahia. O interessante é que os que nasceram na  Bahia mesmo pai mesma mãe é as crias diferentes, alguns casos você não  diz que são irmãos. Corre que vem o boi.cheguei a ver vaqueiro saltar do cavalo é ficar em frente ao boi é encará, é pegar o boi a unha. Ai era assunto pra semana toda, rapaz o vaqueiro fulano pegou o Toro  unha, ochen foi mesmo, rapaz? o toro já ia entrando na loja A Predileta se não fosse o rapaz nem sei. um contava uma outro contava outra é o dia passava rapidinho, enquato isso nois ia buscar a roupa que a Elza tinha deixado no rio, Bons tempos aqueles, as mulheres tinha que lavar roupa no rio, não tinha maquinas de lavar roupa, muito menos sabão em pó.
Tudo naquela época era feito a mão : não tinha gaz, muito menos fogão a gaz,
O fogão era a carvão, a mãe levantava bem cedo pra  acender fogo a carvão, ou a lenha, pra fazer o café da manhã, que era preparado com cuscuz de milho, ou uma banana da terra cuidas, uo ainda um ainpin.
A base da alimentação era feijão com farinha de mandioca.
A vida não era fácil pra quem era pobre, nois fomos doze mais o pai é a mãe quatorze em bora nunca tivemos os quatorze todos juntos, porque morreram no percurso alguns.
Por falar em nascidos, nois nascemos todos em casa fomos pegados como se dizia por lá, mamãe passou pelas mãos de muitas parteira, mais a que eu me lembro bem, é da dona miúda.
Dona Miúda era uma negra já velha devia ser filha de escravos com certeza, era uma pessoa bem pequena pra não dizer miúda, mais muito competente muitas gente pobre foi pegadas por ela.
Ela morava numa casinha de taipa ali no lado pobre da cidade, era só chamar é lá estava ela. Deve ter pegado de três a quatro de meus irmãos.
Coaraci é separada em duas pelo rio Almada, os dois lados são ligados pela ponte, mais acima do rio era ligada pelo'' pau do Peri'' que hoje deu lugar pra uma passarela de concreto.
Lado esquerdo de quem vem pra São Paulo, o lado pobre  a chamada periferia, do outro lado, o lado rico, onde mora a elite;  Os fazendeiros, os médicos,logistas os doutores.
Tinha os Bancos Econômico da Bahia é o Banco de Ilhéus. Tinha também a Prefeitura, O posto do CESP.
Os Cinemas a praça Getúlio Vargas antiga Euzinio Lavigne, A Barrage, em fim: tudo estava no lado direitolde quem vemsentido São Paulo.

quarta-feira, 4 de julho de 2012

''GATOS NA LUZ'' De Euflavio Gois.


Corre oi o boi.

Em Coaraci as boiadas entravam tocada pelos vaqueiros na rua da cidade , era uma loucura, o gado vinha do ouro andando, entrava na rua era uma correria danada, as vezes passava tranquilos, mais outras vezes dava um trabalho danado, muitas vezes o vaqueiro tinha que saltar do cavalo e pegar o touro a unha, isso eu vi acontecer. O rio cheio de lavadeira de roupa os bois atacava as mulheres que saia em desabada carreira, muitas vezes minha irmã chegava em casa desesperada correndo. Minha irmã era uma menina doente, mais muito trabalhadeira, lavavam uma trouxa de roupa,adorava ir lavar roupa no rio.
Maria Elza era seu nome, ele era muito alegre mais nasceu com um problema muito serio, e os médicos asseguraram que ela só sobreviveria até os 14 ou 15 anos e assim foi, quando ela completou 14 anos morreu ,der repente. Quando boiada entrava na ruinha de Zé Ramo, só via nego bater porta, ai quaquer coisa os bois se assustava,  saia assustando todo mundo, as pobres das mulheres que lavava de ganho, que estava no rio era uma loucura, um corre corre danado, as que levava as crianças agarava os meninos pelo braço e saia derrubando as roupas pelo meio do caminho, era uma gritária danada, minha irmã no meio dessa correria com apenas 11 pra 12 anos.
A Elza era muito ativa apesar de ter nascido com um problema muito raro na medicina: Ela nasceu com a bexiga externa, sim com a bexiga pra o lado de fora. Eu estou com muita dificuldade de escrever sobre isso as lagrimas me vem aos olhos, porque ela  gotejar o tempo todo e naquele tempo a falta de informação era muito grande, mamãe era uma pessoa analfabeta apesar de ter trabalhado em fabrica, não sabia como lidar com aquele problema, a menina era tratada como nois todos, qualquer coisa era no coro e pronto.
A menina com um problema daquele tamanho, não podia usar calsinha também conhecida pela aquelas banda com nome de causola, gotejava o tempo todo, a cabeça normal, alegre, como qualquer criança de sua idade, não podia ir a escola, não podia ir pra lugar nenhum só pra o rio ela queria ficar o tempo todo no rio, por quer o rio era o melhor lugar pra ela, minha mãe brigava muito com ela agente também brigava com ela, lembro que meu pai na sua ingnoranci chingava muito ela de um nome que nunca me esqueci:''Cangoncha'' era o nome que meu pai chingava ela. 
Que judiação! Foi feito uma gunta medica pra estudar o problema e chegaram a essa conclusão: A menina tem a bexiga pra o lado de fora, coisa muito rara na medicina, O Dr. Pedro falou: Dona Donata a sua filha só vai viver até os 13 anos de idade. Se prepare que quando chegar essa idade ela não vai resistir e assim foi quando ela chegou nessa idade passou mal no rio, voltou pra casa e com uma semana mais o menos morreu. Nois os irmãos, os pais as pessoas que fazia chacota com os seus problemas se voce poder nos perdoe a todos.
Lembro dela chegando em casa  toda espaventada de medo pois tinha uns bois brabos no rio, e ela largou toda a roupa la no rio e correu pra casa, hoje eu lembro dela com muita pena, não temos nem ua foto dela.
É uma pena. Depois eu falo mais dela em outro capitulo.

terça-feira, 3 de julho de 2012

                         ESSE É UM JACARANDÁ DA BAHIA. TRAZIDO EM 2008
                         PLANTADO NO QUINTAL DA MINHA CASA. JÁ ESTÁ COM
                         3 METROS DE ALTURA.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

As Maiores inveções da humanidade pra mim.

Vou listar as maiores invenções da humanidade; A roda, o nó, a alavanca, a roupa, o fósforo, o domínio do fogo, da agua, a plantação  de alimentos, a pesca, a caça, a comunicação, o domínio do cavalo, o sabão em pó, O dinheiro. dizem que o homem vale pelo que tem no bolso, e só. É incrível como o homem rico impressiona o pobre, mais o homem rico morre mais novo do que o pobre. Homem rico não tem muito compromisso com esforço físico, já o pobre ao contrário tem. o homem rico tem muito medo, o medo é o seu fiel companheiro de todas as horas. O seu maior medo é a falência, a falência é o terror. Já o pobre não tem esse tipo de problema, o homem pobre tem na sua agenda diária muito esforço físico, o corre corre é traduzido em saúde, embora sua alimentação seja fraca é compensada por noites bem dormidas, motivada pelo cansaço do dia a dia.Dinheiro traz mais beneficio pra quem não tem do que pra que tem, vou tentar dizer porque: Quem tem muito ,tem que cuidar pra não perder, não dorme direito, será que não tem niguem me roubando? Tenho que por tudo no seguro. Será que minha mulher não tem um amante, é se tiver? será que não está tramando minha morte? Já o pobre não tem nada disso pra se preocupar.
Levanta cedo vai trabalhar o máximo que pode lhe acontecer é ser mandado embora do emprego, ele demora  mais arranja outro e pronto.
A vida do pobr realmente é uma beleza, as vezes ele é até invisível, chega e sai dos lugares e não é notado, ninguém lhe pede nada porque nada ele tem. Já o rico onde passa: Olha olha é Dr. fulano homem rico aquele tem vinte fazendas vinte e cinco mil cabeças de gado, disse que ele tem até banco.
Isso pra mim não é vida. bem Carnaval acabou vamos cuidar da vida gente.
Alias o carnaval é uma grande invenção,
Tenho que falar mais um pouco das decadas de 50 e de 60. porque foram decadas maravilhsas, minha infancia e adolecencia que tinha outro nome, as dificuldades de se fazer as coisas, a criatividade, agente se virava como podia, as crianças fazia seus proprios brinquedos, os brinquedos era carrinho de direção, pinhão, triagulo, bricava com caravela amarrada, colcava elas para atacar os adversarios, brincadeira de roda com as meninas nas noites de lua, muito banho de rio, de bandido e artista de cinema, caçar passarinhos e outros bichos que aparecesse, subir em pau-de-sebo, quebra pote, corrida de saco, os velhos babas, cabra cega, vuar em cipó como Tarzan, Domingo a tarde no campo pra ver o jogo e chupar rolete de cana, ir pra o circo, lembrei de alguns nomes importates da cidade pela suas falta de importância. Seu Hpito seu Hpito contava que tinha lutado na Guerra do Paraguai naquela epoca ele já estava bem velho agente ficava horas ouvindo ele contar histórias da Guerra. tinha António Fateiro, Gogo de Sola, Pé de Banha, e  Tonho da Balae  Mendengue.

Os carnavais

Depois da quela morte os carnavais nuca mais foram os mesmo, Sabe como é cidade pequena todo mundo se conhece, estudaram juntos ou trabalham juntos, ou bebem juntos, ou jogam bola juntos. Nas festas estão todos lá isso é muito bacana, eu sinto muita falta disso. Embora eu tenha feito minha vida aqui as vezes eu fico penssando: será que eu fiz bem em ter saido dessa cidade que tantas lembranças me traz? bom não sei... Deus é quem sabe o que tá feito té feito. Voltando ao assunto da violencia que comessou apartir daquele crime do carnaval. Era bem comun a passage de circo pela quelas bandas.
Chegou por lá um  Circo Rodeio, não lembro o nome desse circo, mais lembro o nome do dono do circo, era Lourinho Topa Tudo, é Geraldo Sem Medo. O circo estava sendo armado no lugar de sempre, eles tavam armando o alambrado onde se dava a tourada, quando ouve um desentendimento entre dois personagem do ''Espetaculo'' O Palhaço é Toureiro, quado não se sabe porquer deu uma facada no abdomem do toreiro que caiu no chão é ali mesmo ficou até morrer, a noticia logo se espalhou pelos quatro cantos da pequena cidade, é era gente de todo lado pra ver esse homem esfsqueado, até eu fui lá ver me arrependi de ter ido que coisa feia aquela cena até pra mim acostumado ver nos filmes de acão  tantas vezes. Aquele pobre homem ficou tantas horas ali sem ser socorrido até morrer. Se fosse nos dias de hoje talvez ele não tivesse morrido. Em outra ocazião um homem estava cassando numa mata nos aredores da cidade dizem que ele foi saltar um corego quando o gatilho da espingarda esbsrou em alguma coisa e acionou a espingarda disparou nas costela do homem que morreu na hora, ficou mais de 10 horas jogado nas pedras do riacho até que foitrazido numa rede pra cidade, é antigamente era feito entero em rede pra quelas bandas. Até hooje eu acho que ainda é. Nas roças  os enteros é feitos em cortejos em rede com um pau enfiado de um lado ao outro é as pessoas'' cantando ben dito'' Ha! sim , os Carnavais foram se acabando com a vinda das pessoas que fazia pra São Paulo, pra Salvador, pra o Rio, ou pra Ilheus. Até se acabar definitivamente, o que é uma pena, mais hoje o que reina por lá mesmo é a festa junina, Festa de São João. Pararam as Corridas de Cavalos é Mulas. Os Fazendeiros envelheceram os seus filhos foram pra São Paulo, Rio, Salvador é Ilheus. A Escola de Samba Emudeceu. Vitalino Foi pra São Paulo, ninguem soube mais noticia dele. Joaquinzinho não pois mais o Afoxer na rua é assim acabou os carnavais de Coaraci.

domingo, 1 de julho de 2012

TITULO:''MARAVILHOSA'' Autor Euflavio Gois.





CONSTRUIDA APARTIR DE APARAS DE EUCALIPTO. RECICLADO EM SERRARIA NO INTERIOR DE SÃO PAULO.

ESCULTURAS DE EUFLAVIOMADEIRART.

                                         COLEÇÃO DE EUFLAVIO GOIS. SÃO PAULO
                                                  ''THE FIVER''
''FAVELA.'' Autor: Euflavio Gois Pintado em São Paulo
Em 2012. Mede; 43x 35cm.